Confira abaixo um guia prático de como não se fazer uma dissertação de mestrado. Caso queira o guia abaixo em pdf, clique no link abaixo para fazer o download e enviar para os mestrandos, doutorandos ou mesmo graduandos que estão escrevendo seu trabalho de pesquisa:

Como não fazer uma dissertacção de Mestrado – Guia Prático¹ (Waldomiro Silva Filho)

Como não fazer uma dissertação

Como não fazer uma dissertação

Fazer uma dissertação de mestrado não é uma tarefa simples, mas se você se esforçar bastante pode, sim, transformá-la em algo muito complicado e, com alguma sorte, impossível de ser realizada. A regra geral é: se uma coisa está difícil, complique-a.

Aqui estão alguns passos simples que você pode seguir para transformar a sua vida e a do seu orientador num inferno.

  1. Seja dispersivo: leia o máximo de coisas possível que não tenha qualquer relação com o Plano de Trabalho;
  2. O item acima pressupõe que você tem um plano de trabalho. Se você tiver um plano de trabalho definido com o seu orientador, procure modifica-lo várias vezes, acrescente temas e problemas novos, amplie sua bibliografia.
    Faça isso pelo menos uma vez por semestre;
  3. Ainda sobre o ponto 1 acima, leia tudo que cair na sua mão. Mas tenha cuidado, não vá fazer leituras aprofundadas, pois isso pode custar muito tempo e criar um foco para o teu trabalho. Faça assim: leia apenas as primeiras páginas de cada texto (no caso de livros, leia a introdução e as 5 primeiras página do terceiro capítulo; no caso de artigos, leias as três primeiras páginas);
  4. Quando encontrar um texto ou livro interessante – mesmo que não tenha qualquer relação com a sua pesquisa – vá direto para as referências bibliográficas. Seja exaustivo e procure pela internet todos os artigos e livros citados. Abra um novo diretório e comece a baixar tudo o que encontrar. Quando esse diretório atingir 100 novos itens baixados, parta para outro texto;
  5. Com o item 4 acima você conseguirá reunir uma biblioteca digital de cerca de 3.472 artigos e 719 livros;
  6. Faça planos de leitura “impossíveis” de serem realizados. Por exemplo, com a biblioteca digital descrita no item 5 acima, escolha 15 artigos e 4 livro para ler no próximo final de semana. Quando chegar no final do terceiro semestre, refaça seu plano de trabalho (sem conversar com o orientador, é claro) com novas leituras de itens que foram publicado nos últimos seis meses;
  7. Não esqueça de fazer planos para projetos futuros. Isso é muito importante para tirar a atenção do seu trabalho atual. Faça roteiros de leituras futuros, dedique muitas horas elaborando projetos que, com certeza, você nunca realizará;
  8. Faça listas e mais listas. Um item indispensável nas suas listas é fazer listas;
  9. A internet é um grande aliado nessas horas para evitar a tentação de começar a trabalhar. Navegue para onde os ventos virtuais te levarem. Frequente sites de notícias bizarras e sites pornôs. Dedique apenas 60% do seu tempo para isso. Mas o mais importante é manter uma página no Facebook atualizada a cada 15 minutos. Alimente sua página principalmente como coisas inteligentemente engraçadas (como placas com erros de português, paródias, vídeos encontrados nos sites de notícias bizarras). É bom fazer isso durante a madrugada. Isso fará com que você durma às 5h e acorde às 14h. Em geral, as atividades do mestrado ocorrem durante o período da tarde e você, afinal, está recebendo uma bolsa de estudos e não precisa trabalhar;
  10. Se um amigo convidar para sair, ir à praia ou a uma festa, não vá e justifique, dizendo que está trabalhando no seu mestrado. Fique em casa sem fazer nada. Isso ajudará a incrementar sua sensação de culpa – componente indispensável para não fazer o que você deveria fazer;
  11. Quando iniciar a redação da dissertação, o melhor modo de não começar a escrevê-la é colocar sobre a mesa de trabalho todos ou a maioria dos livros que tem você sobre o tema da pesquisa, incluindo os que você não leu. Isso lhe dará a justa sensação de que você está completamente perdido. Isso é excelente – se você, de fato, não quer escrever a dissertação;
  12. Mas se, mesmo assim, você tiver começado a escrever a dissertação, diga a si que você é um intelectual obsessivo que só se contenta com um texto acabado, definitivo, perfeito. Não valeria a pena ter chegado até aqui se você não fosse transformar toda a área de conhecimento. Por isso, é muito importante manter segredo sobre o que você realmente está escrevendo. Evite apresentar as versões preliminares do que você estiver escrevendo para colegas e, principalmente, para seu orientador;
  13. Se você chegou a passo 12 acima, o primeiro capítulo a escrever deve ser uma revisão completa e exaustiva de tudo o que foi escrito sobre o assunto da sua dissertação. Não se preocupe se você ainda não tiver um ideia de qual seria a hipótese central do seu trabalho ou até onde você deveria ir com esse trabalho. Isso é apenas um detalhe. Vá  escrevendo (o uso de álcool e alucinógenos pode produzir ideias geniais para sua escrita; o único problema é que essas ideias desaparecem com o efeito do troço que você tomou);
  14. Você chegou ao último semestre. Já deveria ter feito a qualificação, mas não tem nada decente escrito. Como essa história tem sido muito divertida, não desista. Preste atenção agora. Todo mundo tem um tia velha. Mate-a (simbolicamente, claro). Contraia dengue (simbolicamente, claro), pois todo mundo pega dengue. Comova seu  orientador e peça prorrogação do prazo. Quando conseguir a prorrogação, comece tudo de novo. Volte ao item 1 e veja se você fez tudo direitinho.

Sei que não fazer uma dissertação é algo que exige muito esforço, dedicação e disciplina. Complicar é uma arte. Mas estou certo que com esses passos simples, você não fará sua dissertação. É claro que existem outras estratégias que podem ser usadas.

____________________________

¹. Este guia foi concebido para estudantes de mestrado, mas com certas adaptações pode ser usado por alunos de graduação (iniciação científica) e doutorado.