David Chalmers publicou em seu website um guia muito interessante para uma discussão filosófica amigável e construtiva dentro de ambientes formais de discussão filosófica, como congressos, conferências e seminários. O José Eduardo Porcher (jeporcher@ufrgs.br) traduziu e o disponibilizou a sua versão traduzida em pdf. Colocamos abaixo o link da versão pdf traduzida e o link para o original, do Chalmers. E também copiamos aqui a tradução feita pelo José Eduardo Porcher, caso queiram ler sem precisar baixar.

Links:

Diretrizes para uma discussão filosófica respeitosa, construtiva e inclusiva*

*Tradução da compilação ‘Guidelines for respectful, constructive, and inclusive philosophical discussion’ de David Chalmers. Sugestões e correções com respeito à tradução podem ser encaminhadas a José Eduardo Porcher (jeporcher@ufrgs.br). A distribuição deste material é incentivada.

As diretrizes abaixo são destinadas primariamente à discussão filosófica oral em contextos formais: colóquios, conferencias, seminários, aulas e assim por diante. Muitos delas tem alguma aplicação para discussão informal filosófica também.

As normas específicas servem como meios de facilitar as normas mais gerais de ser respeitoso, construtivo e inclusivo. Estas provavelmente não são normas categóricas e há situações em que é apropriado violá-las, mas, no entanto, em muitos contextos filosóficos elas são normas úteis para ter presente. Encoraja-se que grupos adaptem e modifiquem estas diretrizes para os seus fins como acharem melhor.

Tudo isso é um trabalho altamente experimental e em andamento. Sugestões para adição, subtração e mudanças são mais do que bem-vindas. Obrigado a muitos filósofos por suas sugestões até agora.

Normas de respeito

  1. Seja gentil.
  2. Não interrompa.
  3. Não apresente objeções na forma rejeições definitivas (deixe em aberto a possibilidade de que há uma resposta).
  4. Não seja incrédulo.
  5. Não revire os olhos, fazer caretas, rir de um participante, etc, especialmente para os outros ao seu lado. (Exceção parcial para sinalizar violações das normas para o moderador.)
  6. Não inicie conversas paralelas paralelo à discussão principal.
  7. Reconheça os insights do seu interlocutor.
  8. Faca objeções a teses, não a pessoas.

Normas de construtividade

  1. Está bem objetar, mas também é sempre bom ser construtivo, elaborando o projeto do apresentador ou fortalecendo a sua posição. Até mesmo objeções podem ser lançadas de forma construtiva.
  2. Mesmo quando uma objeção é destrutiva em relação a uma posição, é muitas vezes útil encontrar um insight positivo sugerido pela objeção.
  3. Se você está pensando que o projeto é inútil e não há nada a ser aprendido com ele, pense duas vezes antes de fazer sua pergunta.
  4. Está bem questionar os pressupostos de um projeto ou de uma ´área, mas as discussões em que estas questões predominam podem ser infrutíferas.
  5. Você não precisa continuar repetindo a mesma objeção (individual ou coletivamente) até que o apresentador desista se entregue à submissão.
  6. Lembre-se que a filosofia não é um jogo de soma zero. (Versão relacionada: filosofia não é Clube da Luta.)
Filosofia não é Clube da Luta

Filosofia não é Clube da Luta

Normas de inclusividade

  1. Não domine a discussão (exceção parcial para o apresentador!).
  2. Faca uma pergunta por vez (demais perguntas vão para o fim da fila).
  3. Não deixe a sua pergunta (ou a sua resposta) demorar uma eternidade.
  4. Reconheça os pontos apresentados pelos interrogadores anteriores.
  5. Está bem fazer uma pergunta que você acha que pode ser obtusa ou desinformada.
  6. Não use exemplos desnecessariamente ofensivos.

Normas procedurais¹

  1. Se houver tempo, faça uma pausa de 3 a 5 minutos antes da discussão (para descansar, sair e formular perguntas). Segure as perguntas até depois do intervalo.
  2. O moderador, e não o apresentador, deve receber as perguntas (para evitar tendenciosidade) e o moderador deve manter uma lista de interlocutores.
  3. Para fazer uma nova pergunta a qualquer momento, levante a mão até que o moderador o veja e o adicione à lista. Para dar prosseguimento (follow-up) à uma pergunta levantada por outra pessoa, levante o dedo.
  4. A menos que você seja o palestrante, o interlocutor do momento ou o moderador, não fale sem ser chamado (exceções limitadas para piadas ocasionais e outras interjeições muito breves, a não abusar).
  5. Dando prosseguimento à sua própria pergunta geralmente está bem (a menos que o tempo seja curto), mas rodadas de prosseguimento geralmente devem ser cada vez mais breves, e pense duas vezes se terceiras e posteriores rodadas são realmente necessárias.
  6. Prosseguimentos devem partir diretamente da discussão presente, ao invés de serem tangencialmente ou distantemente relacionados (para prosseguimentos desse tipo, levante a mão e faça uma nova pergunta).
  7. O moderador deve tentar equilibrar o debate entre os participantes, priorizando aqueles que não tenham falado antes (não é obrigatório chamar as pessoas na ordem em que vão sendo vistas).
  8. O moderador deve tentar fazer as coisas andarem de modo que todo mundo que tenha uma questão possa fazê-la. Em períodos curtos de discussão, ou quando é curto o período de tempo restante, isso pode ser difícil; não permitir prosseguimentos ajuda.

Meta-normas

  1. Quando as normas forem violadas, se incentiva o moderador a apontar isso gentilmente, e outros devem se sentir livres para dizer alguma coisa ou para avisar o moderador.
  2. Se for mais confortável, também está bem calmamente apontar violações após o seminário (ou para avisar o moderador que pode conversar com o transgressor).
  3. Se o moderador violar as normas, fique à vontade para apontar isso na hora ou depois.
  4. Tente não ficar na defensiva quando um violação for apontada.
  5. Respeite o moderador quando fizer cumprir essas normas.
  6. Policiamento geralmente funciona melhor com um toque gentil.

Normas adicionais em potencial²

  1. Máximo de dois minutos por questão (versão modificada: depois de dois minutos, aceitam-se interrupções).
  2. Priorize alunos na recepção de questões (versão modificada: não priorize professores).
  3. Peça permissão para dar prosseguimento à sua própria pergunta (versão modificada: peça permissão para qualquer prosseguimento após o primeiro).
  4. Não se preocupe em impressionar as pessoas.
  5. Tome cuidado para não importunar palestrantes durante o intervalo ou depois da discussão (eles podem precisar de descanso).
  6. Discuta estas normas como um grupo no início de um curso ou atividade relacionada.

Recursos (e fontes) relacionados

Notas:

1 – Para discussões após apresentações. Algumas são específicas com respeito ao sistema de levantar a mão ou o dedo.
2 – Sugeridas principalmente por outras pessoas; por várias razões decidi não incluí-las na lista canônica, mas sou solidário com muitas delas e certamente vale a pena levá-las em consideração.